Ações Especiais Entrada Franca

16ª Semana de Museus IBRAM

No mês em que se comemora o Dia Internacional de Museus, 18/05, o MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal preparou uma completa programação sobre o tema. No mês de maio acontece a 16ª Semana de Museus promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus – IBRAM. Entre os dias 15 e 31 de maio uma diversidade de ações, rodas de conversa, exposições e ações educativas (veja aqui) irão tratar sobre a temática hiperconectividade nos museus. Veja a programação completa:

 

Instalação “IDENTIDADES CONECTADAS”

15 a 31 de maio – terça a domingo

“Quem é você?” e “O que você busca aqui?” são as duas perguntas que movem a instalação “Identidades Conectadas”, em que é possível cruzar o perfil do público que visita o Museu, a partir das identidades ele próprio escolhe evidenciar e aquilo que o traz ao museu. Afinal, o Museu é feito de conexões entre pessoas com identidades fragmentadas neste cenário contemporâneo, com interesses, desejos e perfis que podem, por que não, estarem conectados.

Instalação “MUSEU PARA TODOS: CONSTRUINDO CONEXÕES”

15 a 31 de maio – terça a domingo

Ao longo dos seus sete anos de abertura ao público, o MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal veio estabelecendo conexões, por meio das várias parcerias feitas, do relacionamento com cada visitante, do acolhimento a cada escola, dos contatos virtuais ou presenciais com pessoas de várias partes do mundo. Nesta grande trama que se constitui as relações que tecemos ao longo da nossa história, os pontos de conexão nos mostram que temos públicos no plural. Cada um que passa por aqui é um universo particular, mas com muitos pontos em comum.

 
Jornada HIPERCONEXÕES MUSEAIS

17 de maio – quinta

Dentro da programação da Semana de Museus, o MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal recebe, no dia 17 de maio, das 14h às 21h30, a Jornada Hiperconexões Museais, realizada pelo Labfront (UEMG) e MUSAETEC (ECI-UFMG), com apoio do MM Gerdau. A organização ficou a cargo dos professores Prof. Dr. Pablo Gobira (Escola Guignard, PPGArtes/UEMG, LabFront/CNPq) e Profa. Dra. Cátia Rodrigues Barbosa (Escola de Ciências da Informação/UFMG, Musaetec/CNPq).

Confira a programação e participe! Entrada gratuita. Sujeito à lotação do espaço.

 

PROGRAMAÇÃO

Mesa da tarde (14h-17h) – Museus virtuais/digitais

Os participantes desta mesa discutirão os museus virtuais e/ou digitais e suas particularidades. As apresentações trarão reflexões sobre a virtualização dos museus e a transformação do espaço museológico além do tangível.

Participantes:

LARISSA FERNANDES DUTRA (ECI/UFMG) – Bacharel em Turismo pela Universidade Federal de Minas Gerais (2015). Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Gestão e Organização do Conhecimento da Escola de Ciência da Informação da UFMG (PPG-GOC), linha de pesquisa Gestão e Tecnologia. Membro do grupo de pesquisa Turismo, economia, cultura e território (CNPq). Membro do Grupo de pesquisa MUSAETEC (Museus e Tecnologia) (ECI UFMG).

ANDRÉA VANESSA DA COSTA VAL (MEMÓRIA DO JUDICIÁRIO MINEIRO/TJMG) – Graduada em Arquitetura pela Universidade Federal de Minas Gerais (1988), especialização em Arquitetura Crítica pela IEC – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2000) e especialização em Revitalização Urbana e Arquitetônica pela Universidade Federal de Minas Gerais (1996). Atualmente é coordenadora-assessora técnica da Memória do Judiciário Mineiro – Tribunal de Justiça de Minas Gerais, atuando principalmente nos seguintes temas: cultura e sociedade, memória e patrimônio, justiça e memória institucional. É Membro-Fundador do Comitê Mineiro do Escudo Azul , integrante do Grupo de Pesquisa MUSAETEC e atual presidente da rede de memórias de Minas Gerais – REMIG.

FLÁVIA LEMOS MOTA DE AZEVEDO (DIVINÓPOLIS/UEMG) – Graduada em História pela Universidade Federal de Goiás – UFG (1999) e mestrado em História Social e das Idéias pela Universidade de Brasília – UNB (2003). Professora dos cursos de graduação em História, Jornalismo e Psicologia da UEMG, unidade Divinópolis. Coordenadora do Centro de Memória da UEMG – Unidade Divinópolis. Coordenadora de área do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – Pibid (desde 2014). Coordenadora de Programa Institucional de Extensão da UEMG – DIREITOS À PRODUÇÃO E AO ACESSO À ARTE E À CULTURA. Desenvolve projetos de pesquisa e extensão nas linhas de memória, museologia social e patrimônio; história oral, memória e história; educação patrimonial e museal, formação docente, historiografia e teoria. Tem experiência na área de História, Teoria e Metodologia da História, Historiografia, Ensino de História e Antropologia. Desenvolve pesquisas na interface da História, Memória, Antropologia, linguagens e Imprensa. Os principais temas de pesquisa que desenvolve são: metodologias do ensino de história, historiografia contemporânea, história cultural, antropologia histórica, linguagens e narrativa, memória e patrimônio, história e jornalismo. Atua na Formação de Professores e desenvolve projetos de extensão sobre metodologias do ensino de história e diversidade cultural. Em 2013 teve projeto contemplado com Prêmio Pontos de Memória, programa que tem como objetivo apoiar ações e iniciativas de reconhecimento e valorização da memória social do Instituto Brasileiro de Museus – IBRAM-Ministério da Cultura. Organizou o livro Cidadania, Memória e Patrimônio: As dimensões do museu no cenário atual (Editora Crisálida), o mesmo foi contemplado com o Prêmio Mais Cultura de apoio às bibliotecas públicas, concedido pela Biblioteca Nacional e Ministério da Cultura, em maio de 2010.

Mesa da noite (17h15-19h30) – Museus hiperconectados

Esta mesa discute as configurações atuais dos museus frente as tecnologias digitais. Os participantes discutirão questões relativas às tecnologias em uso nos museus, mas também apontarão novas ferramentas ainda não utilizadas plenamente e que possibilitam uma expansão dos museus bem como as possibilidades de se conectarem a outras instituições e ao público.

Participantes:

PABLO GOBIRA (ESCOLA GUIGNARD E PPGARTES/UEMG) – Professor doutor da Escola Guignard e do PPGArtes (UEMG). Membro pesquisador e gestor de serviços da Rede Brasileira de Serviços de Preservação Digital do IBICT/MCTI. Coordenador do grupo de pesquisa (CNPq) Laboratório de Poéticas Fronteiriças [http://labfront.tk]. Organizador dos livros “Percursos contemporâneos: realidades da arte, ciência e tecnologia” (2018), “Configurações do pós-digital: arte e cultura tecnológicas” (2017), “Refletindo sobre a cultura” (2017), “Jogos e sociedade” (2012), Walter Benjamin “Lado B” (2011) dentre outros. Pesquisador dos grupos “Estudos e Práticas de Preservação Digital” e “Núcleo de Estudos dos Acervos de Escritores Mineiros”. Atua na curadoria, criação e produção no campo da cultura, artes digitais e ciências e como professor em cursos de fronteira como o Curso de Engenharia de Máquinas Biológicas (formado por professores de várias instituições como: UFMG, UFV, UEMG e Newton Paiva). É coordenador do Programa Institucional de Extensão (UEMG) Direitos à Produção e ao Acesso à Arte e à Cultura.

CÁTIA RODRIGUES BARBOSA (ECI/UFMG) – Pós-doutorado em Museologia pela Universidade de Québec em Montréal (UQÀM-2014). PhD em Museologia pela Escola de doutorado do Muséum National DHistoire Naturelle de Paris (2005). Master em Museologia pela Escola de doutorado do Muséum National DHistoire Naturelle de Paris (2002). Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (1999). Especialização no Ensino de Ciências-modalidade Física pela Universidade Federal de Minas Gerais. Especialização em Inteligência de Estado e Inteligência de Segurança Pública (2017) – Faculdade de Direito Milton Campos e INASIS- Bolsista Associação Internacional para Estudos de Segurança e Inteligência (INASIS). Graduação em Licenciatura Plena Matemática pelo Instituto Newton Paiva. Pesquisadora associada PALOC: Patrimoine Locaux- IRD: LInstitut de recherche pour le développement (França).Membro do ICOM (Conselho Internacional de Museus). Membro da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação (ANCIB). Líder do grupo de pesquisa e estudos em Museologia-arte e estética na tecnologia, educação e ciência MUSAETEC-UFMG/ECI-CNPq ( www.musaetec.com). Atualmente é Professor Adjunto IV da Universidade Federal de Minas Gerais – Escola de Ciência da Informação. Areas de interesse: museologia; museus; patrimônio científico-cultural; identidade cultural; tecnologia no âmbito dos museus-cultura-divulgação da Ciência; gestão da informação e do conhecimento no âmbito dos museus e do patrimônio; museologia-estética-fenomenologia; museologia-educação, inteligência de Estado/ Proteção de conhecimento sensível; mediação-comunicação museológica; memória-patrimônio.

ANTÔNIO MOZELLI (PPGARTES/UFMG) – Graduado em Ciência da Computação pela Universidade FUMEC e Bacharel em Artes Plásticas na Escola Guignard (UEMG) e é estudante de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Artes na UEMG. Atualmente desenvolve pesquisa e trabalhos no campo das artes digitais e explora a utilização de realidade virtual em ambientes de imersão interativa. É integrante do grupo de pesquisa (CNPq) Laboratório de Poéticas Fronteiriças [LabFRONT]. Tem também experiência de consultoria em Usabilidade e Arquitetura de Informação.

19h30 – Lançamento de livros:

Livro 1: “Percursos contemporâneos: realidades da arte, ciência e tecnologia”, organizado por Pablo Gobira (Editora UEMG, 2018).

O livro “Percursos contemporâneos: realidades da arte, ciência e tecnologia” apresenta uma miríade de olhares sobre a arte, ciência e tecnologia e é composto por capítulos de professores/as e pesquisadores/as doutores/as que são referências no campo de estudos dessas relações. Os temas principais são abordados através de diversas outras correlações que revelam nuances a partir de olhares múltiplos.Também são temas desta coletânea: a alquimia; a realidade e a mentira; os museus e as paisagens; o interator e a recepção da obra de arte; a realidade virtual e a dimensão artesanal que ela implica; as hibridações; a preservação do patrimônio e a memória; a imagem técnica e poética dentre outros. Os trabalhos deste livro revelam percursos de leitura das realidades diversas. Os importantes estudiosos que compõem esta obra nos mostram caminhos e acabam escolhendo e percorrendo um ou mais percursos, uma ou mais realidades. Cabe ao/à leitor/a, a partir de agora, analisar e constituir a sua própria leitura, o seu próprio percurso, buscando não apenas dar mais passos, mas enxergar além do brilho sem desviar o olhar. (do Posfácio de Pablo Gobira). Link para download: http://artesdigitais.weebly.com/livros2017-347656.html

Livro 2: “Refletindo sobre a cultura: política cultural, memória e universidade”, organizado por Pablo Gobira; Marco Paulo Rolla; Flávia Lemos; Yuri Simon (Editora UEMG, 2017)

Este livro é fruto das iniciativas de compreensão e desenvolvimento das ações culturais na Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Foram reunidos aqui capítulos que tratam de objetos relacionados às ações do Programa Institucional de Extensão: Direitos à produção e ao acesso à arte e à cultura (Pró-Reitoria de Extensão da UEMG). A proposta deste livro surge do diálogo que o Programa tem com diversos interlocutores do mundo artístico e cultural. Pensando em ampliar os debates promovidos na UEMG para fora da Instituição de Ensino Superior (IES), mas ainda no campo da cultura, propomos este livro como um agrupamento de reflexões e experiências. Tendo em vista o papel principal dos organizadores desta obra de auxiliar na promoção da produção e o acesso à arte e à cultura na universidade, buscamos reunir reflexões e avaliações sobre cultura, memória, políticas culturais e universidade desenvolvidas por professores, pesquisadores, enfim intelectuais comprometidos com o estudo e desenvolvimento cultural. Convidamos eminentes especialistas da área para esta interlocução. Os leitores poderão observar como de fato os capítulos vão tecendo uma rede de conceitos, noções e dimensões críticas. Os capítulos possibilitam avaliar o contexto cultural contemporâneo, o contexto cultural em relação com a universidade e dimensões específicas da sociedade como a elaboração de políticas de cultura e ações em prol da memória. Link para download: http://eduemg.uemg.br/arquivos/2017%20-%20REFLETINDOCULTURA_Miolo_150x210mm.pdf

Livro 3: “Configurações do pós-digital: arte e cultura tecnológicas”, organizado por Pablo Gobira; Tadeus Mucelli (Editora UEMG, 2017)

​(…) Há pelo menos dois sentidos em que o pós-digital pode ser compreendido. De um lado, tomando-se o prefixo “pós” no seu significado temporal, “depois de”, o pós-digital estaria se referindo a tudo que veio depois da instalação crescente e cada vez mais fina do algoritmos  computacionais em todas as atividades humanas. Esse é um sentido neutro , puramente cronológico.  De outro lado há o sentido crítico: há que se passar a limpo os ganhos e perdas. Eis o que se quer significar pelo “pós-digital”. Foi-se o tempo das euforias, aliás, devidamente acompanhadas pelas disforias que, nos seus extremos, preconizavam nostalgicamente o apocalipse. Felizmente, dissipou-se esse tempo de extremismos com respeito ao digital. Agora é hora de enfrentar suas ambivalências, paradoxos e contradições. É justamente isso que tem sido chamado de “pós-digital”. (…) Nesse contexto, o livro que aqui se apresenta, sob o título de Configurações do pós-digital: arte e cultura tecnológicas, comparece como um panorama caleidoscópico de inestimável valor para todos os leitores que queiram se inteirar das condições da produção artística atual sob a égide dos recursos tecnológicos de que o artista se apropria em função da potência criadora que oferecem. O livro contém uma miríade de perspectivas, finas subdivisões prismáticas da arte tecnológica nas suas feições digitais com detalhes específicos da produção que faz uso de dispositivos e recursos de última geração, tais como câmeras kinect, multinteratividade, ciberintervenções, realidade mista e aumentada, modelagem tridimensional, ambientes programáveis, algoritmos complexos, capacetes neurais etc. De outro o lado, o livro é pontilhado de ensaios teóricos e críticos nos quais as novas condições do museu, dos livros de artistas,das artes híbridas, da autoria, dos festivais de arte digital, da cinematografia em versão digital e, last but not least, da materialidade geofísica e geoquímica das mídias são repensadas e enfrentadas à luz dos desafios mais atuais. (…) (do prefácio de Lucia Santaella). Link para download: http://eduemg.uemg.br/arquivos/2017_Configuracoes_do_Pos_Digital.pdf

Livro 4: “Economia Criativa: Inovação e Desenvolvimento”, organizado por Rosângela Míriam Lemos Oliveira Mendonça, Maria Flávia Vanucci de Moraes e Marco Túlio Ferreira Monteiro (Editora UEMG, 2017)

A composição do livro “Economia Criativa: inovação e desenvolvimento” é rica de expressões, conceitos, políticas e práticas. São discutidas relações entre criatividade, economia, cultura, inovação, indústria criativa, indústria cultural, economia colaborativa, território criativo, diversidade cultural, economia solidária, redes sistêmicas de empreendimentos integrais, fluxonomia, desenvolvimento sustentável, entre outros. A diversidade dos temas e das áreas do conhecimento envolvidas revela-se como uma rede interdisciplinar, que, a princípio, parece-nos complexa, mas as experiências práticas já testadas demonstram que a economia criativa começa a ser posta em prática, apoiada pelas discussões teóricas e metodológicas apresentadas por docentes e pesquisadores reunidos nessa obra.

A iniciativa deste livro é resultado das ações iniciadas pelos Programas Institucionais de Extensão da UEMG, criados em 2013 no intuito de identificar o potencial de extensão da Universidade, no que se refere, principalmente, ao enfrentamento de questões sociais contemporâneas. Dos seis programas criados, o de Cultura e Desenvolvimento propõe o fortalecimento e integração das atividades acadêmicas de ensino, pesquisa e extensão relacionadas à cultura criativa como estratégia de desenvolvimento sustentável. As ações visam apoiar a capacitação e desenvolvimento de bens e serviços criativos nas dimensões econômica, social, ambiental e cultural da sustentabilidade, que contribuam ao desenvolvimento das regiões do estado e dinamização da economia criativa brasileira. (da Apresentação da profa. Maria Regina Álvares Correia Dias). Link para download:http://eduemg.uemg.br/arquivos/2017%20-%20ECONOMIACRIATIVA_Miolo_150x210mm.pdf

 

Ações Especiais Entrada Franca

16ª Semana de Museus IBRAM

Fechar

Inscrição realizada com sucesso.
Agradecemos a sua inscrição e respostas.
Aproveite!

A sua inscrição não foi realizada com sucesso. Tente novamente.

Preencha o formulário de inscrição abaixo:

Já participou de algum programa do Toda Quinta e Muito Mais?

Como ficou sabendo do evento? *

Imagem CAPTCHA